Epilepsia infantil sintomas

Crianças com epilepsia podem ter uma vida normal desde que seus pais não escondam seu problema. Veja algumas informações da doença.

Epilepsia infantil sintomas

O que é a epilepsia?

A epilepsia é uma doença neurológica crônica, a qual se caracteriza por crises epiléticas recorrentes. Essas crises geralmente ocorrem quando certos neurônios enviam descargas elétricas excessivas a outros neurônios do cérebro.

         

Como acontecem as crises?

As crises geralmente envolvem o cérebro como um todo, onde a pessoa fica rígida, cai no chão e começa a se debater. No entanto, também podem ocorrer crises onde a pessoa sente um formigamento no braço seguido por pequenos abalos. Alterações no comportamento, onde a pessoa começa a falar coisas nem nexo também podem surgir. Em determinados casos, a pessoa fica “ausente” e não consegue responder aos chamados, assim como também não faz nenhum tipo de contato com o meio.

O que fazer com alguém que está em crise?

• Mantenha a calma e tenha em mente que a crise não demora
• Coloque a pessoa deitada de lado e mantenha-a com a cabeça elevada (com um travesseiro, por exemplo)
• Não dê nada para a pessoa beber ou comer
• Não coloque nada na boca da pessoa para segurar sua língua

Se a crise durar muito tempo, se elas aparecerem em um curto período ou se a pessoa não recuperar a consciência após a crise, ligue para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu – 192).

Uma criança epilética tem um desenvolvimento normal e nem sempre tem dificuldades escolares. Para que ela possa ter uma vida social normal o apoio dos pais é essencial.

Os pais não devem esconder de ninguém que seu filho tem epilepsia. O problema deve ser tratado de forma natural com parentes, vizinhos, amigos e professores. É preciso que a criança seja compreendida no ambiente escolar e se sinta segura no mesmo, sem que haja rejeição pelos colegas.

O tratamento medicamentoso é muito recomendado, desde que o mesmo não interfira e nem comprometa a atenção da criança, prejudicando suas atividades. A criança não deve desorganizar sua vida em função das crises, pois as mesmas costumam durar pouco tempo.

0 voto



Lucimara
07/11/11


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook