Microcefalia consequências da infância

A Microcefalia é um assunto bastante comentando ultimamente. Saiba mais sobre essa condição e sua relação com a gravidez.

Segurando cabeça de bebê

A Microcefalia está sendo relatava como a doença que mais anda afetando os recém-nascidos no Brasil e ela precisa de muita atenção e cuidados.

Microcefalia o que é

É uma condição rara que acontece com os bebês que faz com que o crânio seja menor do que o normal caracterizando a desproporção entre a face e a caixa craniana. Ela pode ser classificada como Vera e Cranioestenose.

Cérebro em tamanho e normal e com microcefalia

Vera

É a Microcefalia de causa primária ou genética. É aparente ao nascer, a princípio já nota a cabeça volumétricamente pequena, mandíbula fugidia, orelhas e nariz grande, estatura pequena, palato alto e pode ocorrer o atraso da dentição e os músculos podem atrofiar e cerca de um terço dos pacientes sofrem crises de convulsão.

O crescimento do cérebro é muito lento e o peso do cérebro não passa de 800 gramas, sendo que o normal é até 1.500 gramas. Se houver casos da doença na família, é aconselhável consultar um geneticista antes de engravidar, para saber se seria possível o bebê nascer com ela, já que a causa também é genética.

Cranioestenose

É a Microcefalia de causas secundárias ou não genéticas. É resultante de agentes nocivos que tingem o feto ainda dentro da barriga, ou seja, é quando a mãe faz uso de drogas, álcool ou medicamentos que são contraindicados. Pode acarretar também quando há desnutrição materna, infecções adquiridas pela mãe, como rubéola, toxoplasmose e varicela ou também quando ela se expõe a irradiação, causando a deformação do feto.

Em 80% dos casos de Microcefalia a criança pode ficar com sequelas que variam de caso para caso. Pode se haver o atraso do desenvolvimento neurológico, motor ou psíquico, déficit visual, auditivo ou cognitivo e até epilepsia, mas existem casos que não afetam a inteligência da criança.

Microcefalia na gravidez

É possível descobrir se a criança tem a microcefalia à partir de ultrassom quando o médico mede o tamanho do crânio.

Grávida e médica

E não existe a possibilidade de revertê-la quando descoberta, não existe medicamento e nem tratamentos para a cura, mas há a possibilidade de melhorar o desenvolvimento da criança e a sua qualidade de vida também através de acompanhamentos de fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e entre outros especialistas que sabem do assunto e que saberão os procedimentos necessários a se tomar.

Pode haver tratamento cirúrgico que geralmente é realizado entre os dois primeiros meses de vida que tem como objetivo abrir as suturas da caixa craniana e descomprimir o cérebro e com isso diminuindo toda a pressão intracraniana, melhorando até a estética.

Há como evitar, a dica é fazer um acompanhamento pré-natal corretamente, procurar um médico rapidamente quando sentir algum sintoma de infecção ou simplesmente uma febre e principalmente evitar cigarro, álcool e outras drogas ilícitas.

Cumprir de forma correta todas as indicações dadas pelo médico que esteja acompanhando sua gravidez é de extrema importância, não só pra evitar a Microcefalia, mas também para evitar diversas doenças que podem afetar o seu bebê. Então seja rígida, siga a risca, para que ele tenha uma boa saúde e também uma qualidade de vida.

Entenda um pouco mais sobre a Microcefalia assistindo ao vídeo abaixo:

Mais artigos sobre infância

30/11/15 por Talita

   



Mais informações por email

Comentar